O riso de Demócrito na tradição literária

Autores

  • Francisco Jose da Silva Prof. Mestre em Filosofia/UFC Cariri

Resumo

O riso é, juntamente com o choro, uma das expressões mais propriamente humanas, as quais nos distinguem dos outros animais. Entre as várias formas de riso, desde o riso humorístico, ao irônico, o sarcástico, o trágico, o riso filosófico talvez seja um dos que ainda não teve suas características devida- mente estudadas.

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Trad… Eudoro de Souza. São Paulo: Ars Poética, 1993.

BERGSON, H. O riso: ensaio sobre a significação do cômico. 2. ed. Trad. Nathanael C. Carneiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DEMÓCRITO. Fragmentos. Trad. Paulo F. Flor et al. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Os Pensadores).

. Fragmentos. In: BORNHEIM, Gerd A. Os filósofos pré-socráticos. São Paulo: Cultrix, 1997. HIPÓCRATES. Sobre o riso e a loucura. Org. e trad. Rogério Gimenes de Campos. São Paulo: Hedra, 2011.

. Aforismos. Trad. Jose Dias de Moraes. São Paulo: Edições Zumbi, 1959.

LA FONTAINE, J. Fábulas. São Paulo: Egéria, 1978. (Vol. II).

LEITE, Priscilla G. O riso como expressão de um posicionamento na cidade: o encontro de Demócrito e Hipócrates. Revista Nuntius Antiquus, Belo Horizonte, n. 3, agosto de 2009.

MONTAIGNE, M. Demócrito e Heráclito. In: Ensaios. Trad. Sergio Milliet. São Paulo: Nova Cultural, 1987. SÊNECA, L. A. Da tranquilidade da alma. Trad. Giulio Davide Leoni. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Os Pensadores).

VIEIRA, Padre Antonio. As lágrimas de Heráclito. In: Sermões. São Paulo: Editora das Américas, 1957. (Vol. XXIII).

Publicado

2012-12-13

Como Citar

SILVA, Francisco Jose da. O riso de Demócrito na tradição literária. A Palo Seco – Escritos de Filosofia e Literatura, São Cristóvão-SE: GeFeLit, n. 4, p. 34–39, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/apaloseco/article/view/n4p34. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos