Heidegger e Guimarães Rosa: mundo, espacialidade e poesia em dois contos de corpo de baile

Autores

  • Rodrigo Michell dos Santos Araujo Mestre em Letras/UFS

Palavras-chave:

Heidegger, Guimarães Rosa, Mundo, Espaço

Resumo

Este artigo investiga em dois contos de Corpo de Baile, de João Guimarães Rosa, “O recado do morro” e “Cara-de-Bronze” – ambos pertencentes ao volume No Urubuquaquá, no Pinhém (1969) – o problema do mundo, da espacialidade e o lugar da poesia no horizonte da ontologia fundamental do filósofo alemão Martin Heidegger. A investigação divide-se em duas partes: (i) a partir da obra capital Ser e tempo (2011a) e de algumas preleções de 1928 a 1930, como também da década de 1950, trazer para o centro do espaço intervalar entre filosofia e literatura os conceitos de mundo e espaço de Heidegger, bem como a ligação ontológica do ser-aí com a espacialidade – essa própria etapa da investigação justifica ela mesma a sua contribuição para a teoria e crítica literárias, no que concerne a uma teoria do espaço; (ii) examinar o lugar da poesia nos contos: seu efeito (primeiro conto) e sua essência (segundo conto). Neste segundo momento, ao nos apropriarmos de um Heidegger tardio interessado na questão da arte, especialmente na poesia de Hölderlin, sublinhamos o caráter essencial da poesia, para o pensador alemão: fundação (do ser), abertura do mundo, deixar-habitar. Nosso argumento é que entre Heidegger e Guimarães Rosa, o que está em jogo nos contos selecionados é a compreensão da poesia como experiência. Entre o pensador da Floresta Negra e o autor mineiro consolidamos o encontro poesia e mundo, poesia e experiência.

Referências

ARRIGUCCI JR, Davi. O mundo misturado: romance e experiência em Guimarães Rosa. Revista Novos Estudos – CEBRAP. São Paulo, n. 40, 1994, p. 7-29.

BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios da vontade. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

BOLLE, Willi.Grandesertão.br. São Paulo: Duas Cidades/Editora 34, 2004.

CANDIDO, Antonio. O homem aos avessos. In: COUTINHO, Eduardo (org.). Guimarães Rosa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991, p. 294-309.

CASANOVA, Marco Antonio. Eternidade frágil: ensaio de temporalidade na arte. Rio de Janeiro: Via Vérita, 2013.

CÍCERO, Antonio. O destino do homem. In: NOVAES, Adauto (org.). Poetas que pensaram o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2005, p. 225-268.

FILHO, Ozíris Borges. Espaço e literatura: introdução à topoanálise. In: XI CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC, vol. 1, jul., Anais do XI ABRALIC. São Paulo, USP, 2008, p. 1-7.

FILHO, Ozíris Borges. Espaço e palavra. Revista Estudos Linguísticos. São Paulo, v. 39, 2010, p. 1097-1107.

FRANCK, Didier. Heidegger et le problème de l’espace. Paris: Les Éditions de Minuit, 1986.

GALVÃO, Walnice Nogueira. Rapsodo do sertão: da lexicogênese à mitopoese. Cadernos de Literatura Brasileira: Guimarães Rosa. São Paulo, Instituto Moreira Salles, n. 20-21, ano X, dez. 2006, p. 144-186.

HAVELOCK, Eric. A musa aprende a escrever. Lisboa: Gradiva, 1996.

HEIDEGGER, Martin. Hölderlin y la esencia de la poesía. Trad. Juan David García Bacca. Barcelona: Anthropos, 1994.

HEIDEGGER, Martin. Ensaios e Conferências. Trad. Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel, Márcia Sá Cavalcante Schuback. 6ª ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Trad. Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2011a.

HEIDEGGER, Martin. Os conceitos fundamentais da metafísica: mundo, finitude, solidão. 2ª ed. Trad. Marco Antonio Casanova. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011b.

IZUTSU, Toshihiko. Hacia una filosofía del budismo Zen. Trad. Raquel Bouso García. Madrid: Trotta, 2009.

LOPARIC, Zeljko. Heidegger réu: um ensaio sobre a periculosidade da filosofia. Campinas: Papirus, 1990.

MACHADO, Ana Maria. Recado do nome. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

MACHADO, Roberto. Zaratustra: tragédia nietzschiana. 3ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MARTINS, José de Souza. Sociologia da fotografia e da imagem. São Paulo: Contexto, 2009.

MOURÃO, Rui. Processo da linguagem, processo do homem. In: COUTINHO, Eduardo (org.). Guimarães Rosa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991, p. 283-290.

NUNES, Benedito. Passagem para o poético. São Paulo: Ática, 1992.

NUNES, Benedito. No tempo do niilismo e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1993.

NUNES, Benedito. Hermenêutica e poesia: o pensamento poético. Org. Maria José Campos. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

NUNES, Benedito. A clave do poético. Org. e apresentação Victor Sales Pinheiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

NUNES, Benedito. Ensaios Filosóficos. Org. e apresentação Victor Sales Pinheiro. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. Trad. Olga Savary. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PAZ, Octavio. Signos em rotação. Trad. Sebastião Uchoa Leite. São Paulo: Perspectiva, 2009.

PLATÃO. A República. Trad. Leonel Vallandro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011a.

PLATÃO. Íon. Trad. Claudio Manuel. Belo Horizonte: Autêntica, 2011b.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa (Tomo I). Trad. Constança Marcondes César. Campinas: Papirus, 1994.

RICOEUR, Paul. A metáfora viva. 2ª ed. São Paulo: Loyola, 2005.

ROSA, Guimarães. Tutameia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1967.

ROSA, Guimarães. No Urubuquaquá, no Pinhém. Rio de Janeiro: José Olympio, 1969.

ROSA, Guimarães. Sagarana. 28ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

SANTOS, Luis Alberto Brandão; OLIVEIRA, Silvana Pessôa de. Sujeito, tempo e espaço ficcionais: introdução à Teoria da Literatura. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SCHWARZ, Roberto. Grande Sertão: estudos. In: COUTINHO, Eduardo (org.). Guimarães Rosa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991, p. 378-389.

SUZUKI, Daisetz Teitaro. Introdução ao Zen-Budismo. Trad. Murilo Nunes de Azevedo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1961.

SUZUKI, Daisetz Teitaro. Conferências sobre Zen-Budismo. In: FROMM, E.; SUZUKI, D. T.; MARTINO, R. Zen-budismo e psicanálise. São Paulo: Cultrix, 1976, p. 9-91.

TARRICONE, Jucimara. A construção da linguagem crítica de Benedito Nunes. Revista Mal-Estar e Sociedade. Barbacena, Ano III, n. 4, Junho, 2010, p. 101-112.

WERLE, Marco Aurélio. Poesia e pensamento em Hölderlin e Heidegger. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

WISNIK, José Miguel. Recado da Viagem. Revista Scripta. Belo Horizonte, v. 2, nº 3, 1998, p. 160-170.

Publicado

2014-12-10

Como Citar

ARAUJO, Rodrigo Michell dos Santos. Heidegger e Guimarães Rosa: mundo, espacialidade e poesia em dois contos de corpo de baile. A Palo Seco – Escritos de Filosofia e Literatura, São Cristóvão-SE: GeFeLit, n. 6, p. 19–35, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/apaloseco/article/view/n6p19. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos