A decisão de Aquiles: Intensidade dramática e narrativa na Patrocléia (Ilíada XVI)

Autores

  • Martim Reyes da Costa Silva Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG

Palavras-chave:

Homero, Ilíada, Patrocleia, Narrativa

Resumo

O artigo pretende discutir como no canto XVI da Ilíada, conhecido como Patrocleia, o poeta cria uma intensidade dramática que explora elementos centrais da narrativa, dando especial relevância ao episódio, que representa a principal reviravolta na trama da obra. Deste modo, a selvageria crescente neste canto traz à tona tanto a temática da irascibilidade diante de uma guerra longa e desgastante, que deu origem ao conflito entre Aquiles e Agamêmnon, quanto a perspectiva das mortes trágicas de Héctor e de Aquiles, centrais para a construção da trama. Em movimentos contínuos, a narrativa explora a dramaticidade da decisão de Aquiles em voltar ou não ao campo de batalha, dando a dimensão dos riscos que o mesmo precisa assumir em cada uma das possibilidades. Movidos pela paixão, Pátroclo e Aquiles discutem e deliberam uma solução parcial – o uso da armadura de Aquiles por Pátroclo – que poderia salvar os Aqueus sem descumprir a promessa de Aquiles de não intervir até que as naus fossem incendiadas. Os destinos trágicos de Aquiles e de Pátroclo se mostram, neste momento, irreversíveis: suas decisões são fruto da perspectiva limitada do próprio destino, característica essencial da condição humana, e os conduzem, junto às intervenções e desígnios divinos, às mortes gloriosas mas carregadas de sofrimento que lhes estavam reservadas.

Referências

HOMERO. Il Canto di Patroclo (Iliade XVI). 1 ed.Trad. di Maria Grazia Ciani, com. di Elisa Avezzù. Veneza: Marsilio Editori, 1989.

HOMERO. Ilíada. Trad. por H. de Campos. São Paulo: Arx, 2002, 2 vol.

JANKO, R. The Iliad: a commentary. Volume IV: books 13-16 (editor geral G. S. KIRK). Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

LESKY, A. Divine and Human Causation in Homeric Epic In: Cairns, D. (Ed.), Oxford Readings in Homer’s Iliad. New York: Oxford University Press, 2001.

VERNANT, Jean-Pierre. A bela morte e o cadáver ultrajado. Trad. Elisa. A. Kossovitch e João. A. Hansen. Discurso, São Paulo, Editora Ciências Humanas, n. 9, 1978, p. 31-62.

Publicado

2015-11-10

Como Citar

SILVA, Martim Reyes da Costa. A decisão de Aquiles: Intensidade dramática e narrativa na Patrocléia (Ilíada XVI). A Palo Seco – Escritos de Filosofia e Literatura, São Cristóvão-SE: GeFeLit, n. 7, p. 71–77, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/apaloseco/article/view/n7p71. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos