Mulheres mestiças no sertão do Seridó, Capitania do Rio Grande, séculos XVIII-XIX

Autores

  • Maria Alda Jana Dantas de Medeiros UFRN

DOI:

https://doi.org/10.61895/pl.v17i33.19520

Palavras-chave:

Mestiçagem. Mulheres. Sertão.

Resumo

O texto discute algumas estratégias de mulheres mestiças no Seridó, sertão da Capitania do Rio Grande, durante os séculos XVIII e XIX. Apresentamos as trajetórias de Manoela Maria de Jesus e Maria Bezerra de Vasconcelos, mulheres pardas cujas trajetórias nos permite refletir sobre a mobilização de estratégias necessárias para sobrevivência de mulheres mestiças no cenário sertanejo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alda Jana Dantas de Medeiros, UFRN

Mestra em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da UFRN-CERES

Referências

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico... Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728. v.3, p. 287. Disponível em: <https://www.bbm.usp.br/pt-br/dicionarios/vocabulario-portuguez-latino-aulico-anatomico-architectonico/> Acesso em 18 set 2021.

CERCEAU NETTO, Rangel. Entre as formas de se pensar e as maneiras de se viver: a família mestiça e a vida familiar em Minas Gerais colonial. São Paulo: Alameda, 2017

DANTAS, José Adelino. Homens e fatos do Seridó Antigo. Natal: Sebo Vermelho, 2008.

FARIA, Osvaldo Lamartine de. Ferros de ribeiras do Rio Grande do Norte. In: SEREJO, Vicente et al. (Org.). O sertão de Oswaldo Lamartine. Vol. 3. Natal: Edufrn, 2022.

GUEDES, Roberto. Egressos do cativeiro: trabalho, família, aliança e mobilidade social (Porto Feliz, São Paulo, c.1798-c.1850). Rio de Janeiro: Mauad X; FAPERJ, 2008. p. 96-99.

LIMA, Ieda Silva de. Nos ministérios de mulher e nos bons costumes, se fez a educação feminina da Ribeira do Seridó (1737-1799). 2008. 89p. Monografia (Graduação em Pedagogia) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Caicó, 2008.

MACÊDO, Muirakytan Kennedy de; ARAÚJO, Marta Maria de. Educação, instrução e assistência aos órfãos (Ribeira do Seridó, Capitania do Rio Grande do Norte, século XVIII). In: Cadernos de História da Educação. v.12, n.2, p. 599-618, 2014. p. 611. DOI: https://doi.org/10.14393/che-v12n2-2013-14

MACEDO, Helder Alexandre Medeiros de. O Senado da Câmara da Vila Nova do Príncipe (1788-1822). In: MACÊDO, Muirakytan Kennedy de et al. (Org.). História & Memoria da Câmara Municipal de Caicó. Natal; Caico: EDUFRN; SESC/RN, 2016. p. 25-60. p. 48; grifo nosso.

MACHADO, Cacilda. A trama das vontades: negros, pardos e brancos na produção da hierarquia social do Brasil escravista. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

MATTOS, Hebe. Das cores do silêncio: os significados de liberdade no Sudeste escravista (Brasil, século XIX). 3ª ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

MEDEIROS FILHO, Olavo de. Velhas famílias do Seridó. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1981.

MEDEIROS FILHO, Olavo de. Velhos inventários do Seridó. Natal: Sebo Vermelho, 2016.

PAIVA, Eduardo França. Dar nome ao novo: uma história lexical das Américas portuguesa e espanhola, entre os séculos XVI e XVIII (as dinâmicas de mestiçagem e o mundo do trabalho). Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

DANTAS DE MEDEIROS, Maria Alda Jana. Mulheres mestiças no sertão do Seridó, Capitania do Rio Grande, séculos XVIII-XIX. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, São Cristóvão, v. 17, n. 33, p. 111–127, 2023. DOI: 10.61895/pl.v17i33.19520. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/pontadelanca/article/view/19520. Acesso em: 18 abr. 2024.