Reflexões sobre organização, representação e recuperação da informação de religiões de matriz africana

uma análise dos periódicos Qualis A na Ciência da Informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33467/conci.v6i.18999

Palavras-chave:

candomblé, umbanda, religiões de matriz africanas, recuperação da informação, representação da informação

Resumo

Aborda questões relacionadas a Organização, Representação e Recuperação da Informação, sobre religiões de matriz africana na Ciência da Informação. Tem como questão norteadora como as informações sobre Candomblé e Umbanda, especificamente, são representadas e recuperadas nos principais periódicos científicos, da Ciência da Informação? Tem como objetivo geral: Refletir sobre a representação da informação de religiões de matriz africana na Ciência da Informação, a partir da produção científica em periódicos correntes Qualis A de 2018 à 2022. Como estratégias para consecução desse estudo tem-se os seguintes objetivos específicos: a) Mapear a produção científica sobre religiões de matriz africana no âmbito da Ciência da informação; b) identificar os termos que representam a temática proposta nos periódicos da Ciência da Informação; e c) verificar como as informações acerca das religiões de matriz africana, o Candomblé e a Umbanda, estão representados nos periódicos Qualis A da Ciência da Informação. Trata-se, de uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, com abordagem  bibliográfica, cuja técnica de coleta e análise dos dados adotada, foi a Análise de Conteúdo. Cujos resultados apresentados nos leva a crer que as religiões de matriz africana, associadas ao contexto da Ciência da Informação, é um campo novo e pouco explorado, necessitando de maior compreensão por parte da comunidade científica, bem como a criação de uma cultura de produção científica na área, sobretudo, ampliar as discussões sobre: espiritualidade, religiosidade, os impactos das informações produzidas e dos conhecimentos gerado dentro dos terreiros de candomblé e umbanda, considerando além da riqueza cultural dessas religiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Irma Gracielle Carvalho de Oliveira Souza, Universidade Federal do Cariri (UFCA)

Professora Adjunta do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri, lotada no Curso de Biblioteconomia. Doutoranda em Ciência da Informação pelo PPGCI/UFPB. Possui Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba com ênfase em Gestão da Informação e do Conhecimento.

Marynice de Medeiros Matos Autran, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Professora Associada do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (1971) com especialização em Biblioteconomia em Minas e Energia, pela Universidade de Brasília. Mestrado em Biblioteconomia pela Dalhousie University (1979), Halifax, Canadá. Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, pela Universidade do Porto em convênio com a Universidade de Aveiro, Portugal (2015). Áreas de interesse: Biblioteconomia; Comunicação Cientifica, Altmetria, Bibliometria, Cienciometria; Netnografia. Ciência da Informação; Metodologia Científica; Gestão de Coleções; Comunicação da Ciência; Open Access; Produção Científica; Genealogia Acadêmica; Humanidades Digitais; Redes de Colaboração Acadêmica; Bibliotecas digitais.

Alexandre Alembert, Universidade Federal do Cariri (UFCA)

Professor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, ministrando disciplinas nos Cursos de Biblioteconomia, Administração Pública e Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Cariri - UFCA. Mestre em Ciência da Informação. Foi Secretário da Secretaria de Documentação e Protocolo - SEDOP da UFCA até 2019, sendo responsável nesse período pela Gestão da Informação Acadêmica documental da UFCA. Foi presidente da Comissão de Permanente de Avaliação de Documentos -CPAD, documentos sigilosos CPADS e Líder do GT de Elaboração da Política de Uso do Processo Eletrônico Nacional. Gerente da Divisão de Gestão de Informação da SEDOP / UFCA. Foi coordenador do Curso de Biblioteconomia da UFCA. Atuou como Coordenador Institucional do Programa Ciências Sem Fronteira. Foi membro titular do Conselho Universitário - CONSUP. Foi membro titular do Conselho Curador da Fundação Memorial Padre Cícero. Foi membro da Câmara de Extensão da UFCA - CAMEX. Foi membro da Câmara de Ensino da UFCA - CAMEN. Tem sob sua responsabilidade o setor de estudos relativo aos Fundamentos Teóricos da Biblioteconomia e Ciência da Informação, bem como Metodologia da Pesquisa. Ex-bolsista do CNPq no Projeto Biblioteca Digital de Jovens e Adultos da Casa Brasil fomentado pela UNESCO. Ex-monitor do programa Elaboração de Trabalho Monográficos promovido pelo curso de Biblioteconomia da UFPB. Foi Editor ad hoc da Revista Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia. Foi professor da Cooperativa para o Desenvolvimento do Nordeste - CDN.

Maria Elizabeth Baltar, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Professora Titular do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

CACCIATORE, O. G. Dicionário de cultos afro-brasileiros: com indicação da origem das palavras. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1977.

CAPURRO, R. Epistemologia e ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., 2003, Belo Horizonte. Anais […] Belo Horizonte: ANCIB, 2003.

CARSTAIRS-MCCARTHY, A. Origins of Language. In: ARONOFF, M.; RESS-MILLER, J. The Handbook of Linguistics. Oxford: Blackwell Publishers Ltd, 2008. p. 1-18.

COSTA, D.; MIRANDA, M. A Organização do Conhecimento sobre Umbanda e sua Representação Bibliográfica: uma análise exploratória a partir de registros bibliográficos. Inf. Inf., Londrina, v. 24, n. 3, p. 154–182, set./dez. 2019.

CUMINO, A. História da Umbanda: uma religião brasileira. São Paulo, Madras, 2015.

DAHLBERG, I. Teoria do conceito. Tradução Astério Tavares Campos. Ci. Inf., Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 101-107, 1978.

GÓIS, A. J. As religiões de matrizes africanas: o Candomblé, seu espaço e sistema religioso. Horizonte, Belo Horizonte, v. 11, n. 29, p. 321-352, jan./mar. 2013.

GOMES, H. F.; SANTOS, R. R. Representação e organização da informação científica como ações de mediação implícita: compromisso da biblioteca universitária com o ethos da ciência e a afiliação acadêmica. In: ALBUQUERQUE, M. E. B. C... [et al.], organizadoras. Representação da informação: um universo multifacetado. João Pessoa: Editora da UFPB, 2012.

INGWERSEN, P.; JÄRVELIN, K. The turn: integration of information seeking and retrieval in context. Dordrecht, The Netherlands: Springer, 2005.

LIMA, J. L. O.; ALVARES, L. Organização e representação da informação e do conhecimento: In: ALVARES, L. (org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012.

MAIMONE, G. D., SILVEIRA, N. C., TÁLAMO, M. F. G. M. Reflexões acerca das relações entre representação temática e descritiva. Informação e Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 21, p. 27-37, jan./abr. 2011.

MOTA, D. A. R.; KOBASHI, N. Y. Representação e Recuperação de Informações: contexto, relevância e pertinência. In: ALBUQUERQUE, M. E. B. C.; MARTINS, G. K.; MOTA, D. A. R. (Org.). Organização e representação da informação e do conhecimento: intersecções teórico-sociais (organizadores). – João Pessoa: Editora UFPB, 2019.

NOVELLINO, M. S. F. Instrumentos e Metodologias de Representação da Informação. Informação e Informação, Londrina, v.1, n.2, p.37-45, jul./dez. 1996.

PINTO, A. Dicionário de umbanda. 2. ed. Rio de Janeiro: Eco, 1975.

PRANDI, R. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, dez. 2004.

RAMOS, R. M. Candomblé e umbanda: caminhos terapêuticos afro-brasileiros. 2015. Dissertação (Mestrado em Psicologia e Saúde) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Saúde, Centro Universitário de Brasília - UNICEUB, Brasília, 2015.

SANTOS, E. P. Formação de professores e religiões de matrizes africanas: um diálogo necessário. Belo Horizonte: Nandyala, 2010.

SARACENI, R. Umbanda sagrada: religião, ciência, magia e mistérios. 7. ed. São Paulo: Madras, 2017.

SILVA, J. H.; ALBUQUERQUE, M. E. B. C. A Organização e Representação na Arquivologia: o fio de Ariadne dos arquivos. Archeion Online, João Pessoa, v.8, n.1, p.68-94, jul./set. 2020.

THEODORO, H. Mulher Negra, cultura e identidade. In: NASCIMENTO, E. L. (org.). Guerreiras de natureza: mulher negra religiosidade e ambiente/ São Paulo: Selo Negro, 2008. (Sankofa: matrizes africanas da cultura brasileira; 3), p.85-97.

VERGER, P. Notas sobre o culto dos orixás e voduns na Bahia de todos os santos, no Brasil, e na antiga costa dos escravos, na África. São Paulo: Edusp, 2000.

Publicado

2024-01-02

Como Citar

CARVALHO DE OLIVEIRA SOUZA, Irma Gracielle; DE MEDEIROS MATOS AUTRAN, Marynice; PEREIRA DE SOUZA, Alexandre; ELIZABETH BALTAR CARNEIRO DE ALBUQUERQUE, Maria. Reflexões sobre organização, representação e recuperação da informação de religiões de matriz africana: uma análise dos periódicos Qualis A na Ciência da Informação. ConCI: Convergências em Ciência da Informação, Aracaju, v. 6, p. 1–27, 2024. DOI: 10.33467/conci.v6i.18999. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/conci/article/view/18999. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo original