Paisagens literárias

um conceito para o estudo da literatura de terror ambientada no sertão nordestino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61895/pl.v17i33.19653

Palavras-chave:

Literatura, Paisagens, Sertão

Resumo

O artigo trata da contribuição do conceito de paisagens literárias para o estudo da literatura de terror ambientada no sertão nordestino, no âmbito da história cultural. Para isso, utiliza-se o suporte teórico de Jean-Marc Besse (2014) acerca dos estudos sobre paisagem nas humanidades, além de Michel Collot (2013) no que se refere ao conceito de paisagens literárias, realizando-se um exercício de seu uso na análise do conto “Brenda e a estrada amarela”, de Filipe Falcão (2021). Conclui-se que discutir as paisagens sertanejas apresentadas na literatura de terror contribui para compreender a origem e persistência de determinadas noções acerca desse espaço, o que pode gerar contribuições significativas para o debate sobre as relações entre história e literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Alves Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutoranda em História (UFRN), mestra em História (PPGH-UFPB) e licenciada em História (UFRN).

Referências

AGUIAR, Cristhiano. Gótico Nordestino. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2022.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

ARRUDA, Fábio Luiz. Duas formas de narrar: a representação histórica e literária. Fronteiras, Dourados, v. 15, n. 26, p. 79-92, jan./jun. 2013. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/FRONTEIRAS/article/view/2685. Acesso em: 21 fev. 2020.

BENJAMIN, Márcio. Maldito Sertão. Juiz de Fora: Siano, 2012.

BENJAMIN, Márcio. Fome. Natal: Jovens Escribas, 2016.

BENJAMIN, Márcio. Agouro. Natal: Escribas, 2019.

BENJAMIN, Márcio. Sina. Itapevi: DarkSide, 2022.

BESSE, Jean-Marc. O gosto do mundo: exercícios de paisagem. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2014.

CANDIDO, Antonio. A Revolução de 1930 e a Cultura. In: CANDIDO, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987. p. 181-198.

CASTRO, Hélder Brinate. Entre árvores e sangue: a natureza sublime do sertão. In: COLÓQUIO DE ESTUDOS EM NARRATIVA, 5, 2015, Uberlândia. Anais [...]. Uberlândia: EDUFU, 2016. v. 2, p. 1-10. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdocena/wpcontent/uploads/2016/01/H%C3%A9lder-Brinate-Castro.pdf. Acesso em: 12 jan. 2023.

CASTRO, Hélder Brinate. A Praga do Sertão: aspectos do gótico em Coelho Neto. In: SILVA, Alexander Meireles da et al. Estudos do Gótico. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2017. p. 65-74.

CERTEAU, Michel de. Relatos de Espaço. In: CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 199-217.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difusão Editorial, 1988.

COLLOT, Michel. Poética e filosofia da paisagem. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2013.

COLLOT, Michel. A matéria-emoção. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2018.

EUZÉBIO, Yuri. "A Estrada Amarela" é novo livro de contos de Filipe Falcão: livro reúne 11 contos fantásticos e de mistérios, ambientadas em diferentes cidades do sertão de Pernambuco. 2021. Disponível em: https://www.folhape.com.br/cultura/a-estrada-amarela-e-novo-livro-de-contos-de-filipe-falcao/188068/. Acesso em: 10 set. 2023.

FALCÃO, Filipe. A Estrada Amarela. Belo Horizonte: Estronho, 2021.

FARIAS, Daniela Santos de. Sertão, Seca, Sertanejo. 2019. 440 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, 2019. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/182395. Acesso em: 28 dez. 2019.

FERNANDES, Telma Dias. História, Cotidianidade e Literatura. Saeculum, João Pessoa, n. 27, p. 215-228, jul./dez. 2012. Disponível em:

https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/16439. Acesso em: 01 set. 2022.

FIGUEIRÔA, Alexandre. Um papo com Filipe Falcão, autor de A Estrada Amarela: “Muitas vezes falta representatividade nos personagens de histórias de terror”. 2021. Disponível em: https://revistaogrito.com/um-papo-com-filipe-falcao-autor-de-a-estrada-amarela-muitas-vezes-falta-representatividade-nos-personagens-de-historias-de-terror/. Acesso em: 10 set. 2023.

GOMES, Décio. Rio Morto. [s.l.]: Amazon, 2015. DOI: https://doi.org/10.5465/ambpp.2015.18005abstract

KING, Stephen. Dança macabra: o terror no cinema e na literatura dissecado pelo mestre do gênero. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

LOVECRAFT, Howard Phillips. O horror sobrenatural na literatura. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.

MARTINS, Giovana Maria Carvalho; CAINELLI, Marlene Rosa. O uso de literatura como fonte histórica e a relação entre literatura e história. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA, 7, 2015, Maringá. Anais[...]. Maringá: UEM, 2015. p. 3889 - 3901. Disponível em: http://www.cih.uem.br/anais/2015/trabalhos/1318.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020.

MEDEIROS, Liudmila Aleksandra de. Representações de um "Sertão Sangrento". 2017. 53 f. TCC (Graduação) - Curso de Bacharelado em História, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Caicó, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/36652. Acesso em: 13 jan. 2023.

MORAES, Antonio Carlos Robert. O sertão: um "outro" geográfico. Terra Brasilis: Revista da Rede Brasileira de História da Geografia e Geografia Histórica, Niterói, v. 4, n. 4, p. 1-8, 2003. Disponível em: https://journals.openedition.org/terrabrasilis/341. Acesso em: 12 jan. 2023. DOI: https://doi.org/10.4000/terrabrasilis.341

NEVES, Erivaldo Fagundes. Sertão como Recorte Espacial e como Imaginário Cultural. Politeia: História e Sociedade, Vitória da Conquista, v. 3, n. 1, p.153-162, mai. 2003. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/3940. Acesso em: 28 dez. 2019.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Fronteiras da ficção: diálogos da história com a literatura. Revista de História das Ideias, Coimbra, v. 21, n. 1, p.33-57, jan./dez. 2000. Disponível em: https://digitalis-dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/41745/1/Fronteiras_da_ficcao.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020. DOI: https://doi.org/10.14195/2183-8925_21_2

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e História Cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

RODRIGUES, Everaldo. O Capeta-Caolho contra a Besta-Fera. Joinville: Clube de Autores, 2018.

SILVA, Alexander Meireles da. O sertão brasileiro como espaço do gótico em "O caso inexplicável da orelha de Lolô", de Bernardo Lélis. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, Londrina, v. 26, n. 26, p. 95-104, dez. 2013. Disponível em: http://www.uel.br/pos/letras/terraroxa/g_pdf/vol26/TR26h.pdf. Acesso em: 12 jan. 2023.

SILVA, Gisele Antônia. O espaço do insólito na literatura brasileira: um estudo dos contos "Os Cavalinhos de Platiplanto" e "Onde Andam os Dindangos" de José J. Veiga. 2014. 15 f. TCC (Graduação) - Curso de Letras, Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2014. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/508/o/Gisele_Antonia_da_Silva.pdf. Acesso em: 13 jan. 2023.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à Literatura Fantástica. São Paulo: Perspectiva, 2012.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

DANTAS, Fabiana Alves. Paisagens literárias: um conceito para o estudo da literatura de terror ambientada no sertão nordestino. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, São Cristóvão, v. 17, n. 33, p. 94–110, 2023. DOI: 10.61895/pl.v17i33.19653. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/pontadelanca/article/view/19653. Acesso em: 18 abr. 2024.