O NARRADOR NÃO CONFIÁVEL COMO ESTRATÉGIA PARA A DESCONSTRUÇÃO DE GÊNERO EM DEIXEI ELE LÁ E VIM, DE ELVIRA VIGNA

Autores

  • Lígia de Amorim Neves
  • Lúcia Osana Zolin

Resumo

Este artigo objetiva entender como o narrador não-confiável pode contribuir para aproblematização de gênero. Para tanto, realiza-se um estudo do romance Deixei ele lá e vim(2006), de Elvira Vigna, por se tratar de uma narrativa que perturba as fronteiras entre verdadee mentira e que põe em discussão as relações assimétricas de gênero. Como abordagemteórica, empreende-se a perspectiva dos estudos de gênero, destacando Butler (2010) eLauretis (1994), e a dos críticos Adorno (2003) e Fehér (1972), como base para a discussãosobre as mudanças dos princípios miméticos literários tradicionais do romance. A análisepermite concluir que o caráter ambivalente desse narrador, que trata a realidade ficcional apartir de um prisma destituído da abordagem absoluta de mundo, é uma estratégia narrativafundamental no romance para problematizar o caráter ideológico das verdades inexoráveis quedefinem as inteligibilidades de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

NEVES, Lígia de Amorim; ZOLIN, Lúcia Osana. O NARRADOR NÃO CONFIÁVEL COMO ESTRATÉGIA PARA A DESCONSTRUÇÃO DE GÊNERO EM DEIXEI ELE LÁ E VIM, DE ELVIRA VIGNA. Revista Fórum Identidades, Itabaiana-SE, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/forumidentidades/article/view/3028. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

SEÇÃO LIVRE