Epistemologias dissidentes acuierlombadas

“lundu,” de Tatiana Nascimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47250/forident.v38n1.p147-161

Palavras-chave:

Epistemologias dissidentes, Lundu, Enunciação contra-hegemônica

Resumo

epistemologias dissidentes acuierlombadas, como as produzidas por tatiana nascimento em seu livro de poemas “lundu,” (2018), descentralizam formas de conhecimento autoritárias, cujas visões eurocêntricas e cisheteropatriarcais têm servido à pilhagem epistêmica. no artigo em tela, trabalhamos com os poemas “exhibit b, v.6:” e “diz/faço qualquer trabalho (y (m)eu amor de volta todo dia”, presentes na obra citada. colocamos em foco epistemologias que rasuram o saber moderno ocidental, revisam o lócus de enunciação e acolhem saberes linguísticos e culturais afrodiaspóricos, construindo e visibilizando saberes demonizados pelo etnocentrismo, valorizando transgressões epistêmicas e linguísticas, bem como processos de enunciação contra hegemônicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Messias Santos, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

 mestrando em letras pelo programa de pós-graduação em letras: linguagens e representações (ppgl/uesc). membro do grupo de pesquisa em linguagens, poder e contemporaneidade (gelpoq).

Alexandre de Oliveira Fernandes, Instituto Federal da Bahia - IFBA/Unidade Eunápolis

doutor em ciência da literatura pela universidade federal do rio de janeiro (ufrj). professor do instituto federal de ciência e tecnologia (ifba/porto seguro). professor permanente no programa de pós-graduação em letras: linguagens e representações (ppgl/uesc). líder do grupo de pesquisa em linguagens, poder e contemporaneidade (gelpoq).

Referências

AFFONSO-ROCHA, Rick. Saudosismo literário: a destruição imaginária da “literatura”. Em: MOURA, Iago (et. al). Cutucando o cu do cânone: insubmissões teóricas. Salvador, BA: Devires, 2022.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Tradução: Sérgio Tadeu de Niemeyer Lamarão e Arnaldo Marques da Cunha. Editora Civilização Brasileira. Rio de Janeiro. 2017.

COUTINHO, Eduardo. Literatura Comparada na América Latina: Ensaios. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2003, p. 130.

EVARISTO, Conceição. Gênero e Etnia: uma escre(vivência) de dupla face. In: Moreira, N. M. de B.; Schneider, L. (orgs.). Mulheres no Mundo: Etnia, Marginalidade e Diáspora. João Pessoa: Ideia; Editora Universitária UFPB, 2005, p. 202-206.

FERNANDES, Alexandre de Oliveira. Axé: apontamentos para uma a-tese sobre Exu que jamais (se) escreverá. Tese (Doutorado) – UFRJ, Faculdade de Letras, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura (Literatura Comparada), 343 p., 2015.

FREITAS, Henrique. Pilhagem Epistêmica. Em: Matos, Doris Cristina Vicente da Silva; Sousa, Cristiane Maria Campelo Lopes Landulfo de (orgs.). Suleando conceitos e linguagens: Decolonialidades e Epistemologias Outras. Campinas, SP: Pontes Editoras, 2022, p. 305-312.

GROSFOGUEL, Ramón. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Sociedade e Estado. V.31, no.1, p. 25-49, Brasília Jan./Apr. 2016.

GUIMARÃES, R. S. Pedagogia micropolítica decolonial na Universidade: reflexões sobre modos de re-sentir. Revista Espaço Acadêmico, v. 18. n. 207, p. 29-36, agosto de 2018.

LORDE, Audre. Não Existe Hierarquia de Opressão. Em: Lorde, Audre. Sou Sua Irmã: Escritos Reunidos. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

NASCIMENTO, Tatiana. A nossa escrita é um reflexo, é um recorte, é um pedaço: uma conversa com tatiana nascimento. Entrevista concedida a Matheus Messias. Abatirá – Revista de Ciências Humanas e Linguagens, v. 3. n.6. p. 135-147, 2023.

NASCIMENTO, Tatiana. Lundu. Brasília: Padê Editorial, 2018.

NOGUEIRA, Sidnei. Intolerância Religiosa. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2020.

NASCIMENTO, Tatiana. Cuírlombismo literário. poesia negra lgbtqi desorbitando o paradigma da dor. São Paulo: n-1 edições. 2019. Disponível em: https://palavrapreta.wordpress.com/2018/03/12/cuierlombismo. Acesso: 16 de fevereiro de 2024.

POLESSO, Natalia Borges. Geografias Lésbicas: literatura e gênero. Revista Criação & Crítica, n. 20, p. 3-19, 2018.

RUFINO, Luiz. Epistemologia na encruzilhada: política do conhecimento por Exu. Abatirá – Revista de Ciências Humanas e Linguagem, vol. 2, n. 4, pp. 19-30, 2021. Disponível em https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/13339. Acesso em 16/05/23.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2019.

SILVA, Cidinha da. Exuzilhar. São Paulo: Kuanza, 2010.

SILVA, Fabiana Carneiro da. Por uma fala: o negro corpo do discurso. Opiniães. São Paulo, n. 10, p. 58-70, jun. 2017.

Publicado

2023-12-30

Como Citar

SANTOS, Matheus Messias; FERNANDES, Alexandre de Oliveira. Epistemologias dissidentes acuierlombadas: “lundu,” de Tatiana Nascimento. Revista Fórum Identidades, Itabaiana-SE, v. 38, n. 1, p. 147–161, 2023. DOI: 10.47250/forident.v38n1.p147-161. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/forumidentidades/article/view/v38p147. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Por que escrevem as mulheres e as representações do corpo-mulher