Perdendo a mãe África

histórias de retornos na literatura contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47250/forident.v38n1.p73-85

Palavras-chave:

África, Identidade, Memória, Colonialismo, Mãe

Resumo

Neste ensaio busco compreender como o tema da viagem de retorno à África possibilita a discussão sobre as identidades de escritoras negras contemporâneas. A partir das escritas de Yara Nakahanda Monteiro, Djaimilia de Pereira de Almeida e Saidya Hartman percebo como essas autoras empreendem, em suas obras, uma viagem em busca da “Mãe África” que revela uma reflexão em torno da história dos colonialismos, da escravidão, do racismo e dos trânsitos da pós-colonialidade. Na esteira de teóricos como Beatriz Nascimento (1997) e Leda Maria Martins (2021) questiono os trânsitos da memória nas performances dessas autoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaella Cristina Alves Teotônio, Universidade de Pernambuco - UPE/Mata Norte

Doutora em Teoria da Literatura pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco e professora adjunta de Literaturas em Língua Portuguesa na Universidade de Pernambuco (UPE – Campus Mata Norte), sendo também pesquisadora do Centro de Estudos Linguísticos e Literários da UPE – CELLUPE e do GPERAS.

Referências

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de. Esse Cabelo. São Paulo: Todavia, 2022.

HARTMAN, Saidya. Perder a mãe: uma jornada pela rota atlântica da escravidão. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2021.

HARTMAN, Saidya. O tempo da escravidão. In: Periódicus: revista de estudos indisciplinares em gênero e sexualidades. Salvador, nº 14, vol.1, nov de 2020-2021.

LARANJEIRA, Pires. A negritude africana de língua portuguesa. Porto: Afrontamento, 1995.

KLINGER, Diana. Escritas de si, escritas do outro: o retorno do autor e a virada etnográfica. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

MARTINS, Leda Maria. Performances do tempo espiralar: poéticas do corpo-tela. Rio de Janeiro: Cobogó, 2022.

MBEMBE, Achille. Afropolitanismo. Áskesis. v.4, nº 2. Julho-dezembro, 2015.

MONTEIRO, Yara Nakahanda. Essa dama bate bué. São Paulo: Todavia, 2021.

NASCIMENTO, Beatriz. Corpo/Mapa de um país longínquo. In: GERBER, Raquel (Dir.) (1989) Ôrí. São Paulo, Angra Filmes. 90 min.

PRECIADO, Paul B. Orlando: minha biografia política. Documentário/ficção. (2023), Les filmes du Poisson, 98 min.

RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza; Imprensa Oficial, 2006.

SOUSA, Noémia de. Sangue Negro. São Paulo: Editora Kapulana, 2016.

PITTS, Johny, Afropean. from Black Europe. London: Penguin Books, 2019.

Publicado

2023-12-30

Como Citar

TEOTÔNIO, Rafaella Cristina Alves. Perdendo a mãe África: histórias de retornos na literatura contemporânea. Revista Fórum Identidades, Itabaiana-SE, v. 38, n. 1, p. 73–85, 2023. DOI: 10.47250/forident.v38n1.p73-85. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/forumidentidades/article/view/v38p73. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Por que escrevem as mulheres e as representações do corpo-mulher

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)