Os paladinos do povo

debates intelectuais sobre a “Cultura Popular” no Nordeste do Brasil

Autores

  • Willians Alves Universidade Federal do Piauí - UFPI

DOI:

https://doi.org/10.61895/pl.v17i33.19731

Palavras-chave:

História, Nordeste, Cultura popular

Resumo

O presente trabalho se propõe a entender as tentativas de configuração de um dado conceito de “cultura popular” no Nordeste do Brasil, pelas mãos dos intelectuais locais das décadas de 1950 e 1960.   Cabe observar, tomando como fundamento teórico a noção de cultura popular pensada por Michel de Certeau, bem como o método arqueológico de Michel Foucault, o caráter elitista dessa elaboração, na medida em que ela parte de figuras dos circuitos de saber-poder locais, a exemplo das publicações do Manifesto Regionalista encabeçado por Gilberto Freyre. Também são fundamentais os estudos das obras de outros intelectuais, como as do potiguar Luís da Câmara Cascudo, do piauiense Fontes Ibiapina, bem como as obras literárias e teatrais do paraibano Ariano Suassuna. Dessa forma, o estudo pretende entender como o conceito de cultura popular é operacionalizado e legitimado na região Nordeste por meio do discurso engajado de folcloristas, escritores e dramaturgos. Neste trabalho, toma-se a cultura popular como uma categoria e como um instrumento para nomear, classificar, ordenar, distinguir, identificar e se apropriar de dadas formas de expressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willians Alves, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Mestrando em História do Brasil (PPGHB - UFPI).

Graduado em História pela Universidade Federal do Piauí – UFPI

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. A feira dos mitos. São Paulo: Editora Intermeios, 2013.

BURKE, Peter. O que é história cultural. 2.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CASCUDO, Luís da Câmara. Contos tradicionais do Brasil. 13.ed. São Paulo: Global Editora, 2003, p. 226.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 12 ed. São Paulo: Global, 2012.

CASCUDO, Luís da Câmara. Folclore do Brasil. 3.ed. São Paulo: Global, 2012.

CASCUDO, Luís da Câmara. Superstições no Brasil. 5.ed. São Paulo: Global, 2012.

CARDOSO. Sebastião Marques. SILVA. Elen Karla Sousa da. A tradição popular nordestina na obra auto da compadecida de Ariano Suassuna. Revista Entrelaces – Ano V – nº 06 – jul.-dez. 2015.

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. 7.ed. São Paulo: Papirus, 2012.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano, vol. 01: artes de fazer. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2014.

CHARTIER, Roger. Leituras e leitores na França do Antigo Regime. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 8.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51° ed. São Paulo: Global, 2006.

FREYRE, Gilberto. Manifesto Regionalista. 7.ed. Recife: FUNDAJ, Ed. Massangana, 1996.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes - la littérature au second degré. Paris, Seuil, 1982.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 12.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2019.

HOBLICUA. Especial Ariano Suassuna, n. 02, pedra armorial, Teresina, Piauí, 2015.

IBIAPINA, Fontes. Chão de meu Deus. 3.ed. Teresina: APL; FUNDAC; DETRAN, 2009.

IBIAPINA, Fontes. Palha de arroz. 4.ed. Teresina: Oficina da Palavra, 2004.

IBIAPINA, Fontes. Pedra bruta. Teresina: Edições do Caderno de letras – Meridiano, 1964.

MORAES, Marcos Antonio de (Org.). Câmara Cascudo e Mário de Andrade: cartas (1924-1944). São Paulo: Editora Global, 2012.

MORAES, Maria Thereza Didier de. Emblemas da sagração armorial: Ariano Suassuna e o Movimento Armorial (1970-76). Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2000.

NEWTON JÚNIOR, Carlos. O pai, o exílio e o reino. Pernambuco: Editora da Universidade Federal de Pernambuco, 1999.

OLIVEIRA, Noé Mendes de. Folclore brasileiro: Piauí. 6.ed. Teresina: Academia Piauiense de Letras, 2016.

ORTIZ, Renato. Românticos e folcloristas: cultura popular. São Paulo: Olho D’Água, 1992.

PARADA, Maurício. HENRIQUE ESTRADA, Rodrigues (Orgs.). Os historiadores: clássicos da história do Brasil, vol. 04: dos primeiros relatos a José Honório Rodrigues. Rio de Janeiro: Vozes, 2018.

RABELO, Elson de Assis. História entre tempos e contratempos: Fontes Ibiapina e a obscura invenção do Piauí. 2008. 202 p. Dissertação – Centro de Humanas, Letras e Arte da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

REVEL, Jacques. A invenção da sociedade. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1989.

REZENDE, Antonio Paulo. (DES)encantos modernos: histórias da cidade de Recife na década de vinte. Pernambuco: Editora UFPE, 2016.

SANTOS, Idelette Muzart Fonseca dos. Em demanda da poética popular: Ariano Suassuna e o Movimento Armorial. 2.ed. São Paulo: Editora da Unicamp, 2009.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 3.ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

SUASSUNA, Ariano. A onça castanha e a Ilha Brasil: Uma reflexão sobre a Cultura Brasileira. 1976. 200 p. Tese de livre-docência - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, concurso para a disciplina História da Cultura Brasileira, Recife, 1976.

SUASSUNA, Ariano. Auto da compadecida. 36 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

SUASSUNA, Ariano. Cadernos de literatura brasileira: Nº 10, nov. de 2000, Instituto Moreira Salles, folha de rosto.

SUASSUNA, Ariano. O casamento suspeitoso. In: Teatro completo de Ariano Suassuna: comédias, volume 01. 1.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

SUASSUNA, Ariano. Manifesto Armorial. Revista Pernambucana de desenvolvimento. Recife, N. V. 3, Nº 02, jul/dez. 1976.

SUASSUNA, Ariano. O movimento armorial. Revista Pernambucana de Desenvolvimento (RPD). Vol.4, nº 1, jan.-jul. 1973.

SUASSUNA, Ariano. Revista Vintém, mai./jun./jul., nº 02, 1998, p. 08. Uma dramaturgia da impureza, da misturada. Entrevista concedida à Revista Vintém — ensaios para um teatro dialético. Publicação do grupo teatral Companhia do Latão. São Paulo: Editora HUCITEC.

SUASSUNA, Ariano. Romance d’A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta. 13.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

ALVES, Willians. Os paladinos do povo: debates intelectuais sobre a “Cultura Popular” no Nordeste do Brasil. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, São Cristóvão, v. 17, n. 33, p. 14–31, 2023. DOI: 10.61895/pl.v17i33.19731. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/pontadelanca/article/view/19731. Acesso em: 18 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.