Reescrita, Tradução e Legendagem

Cidade Invisível em inglês

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47250/intrell.v40i1.p155-170

Palavras-chave:

Estudos da Tradução, Reescrita, Legendagem, Cidade Invisível

Resumo

A partir dos Estudos da Tradução, mais especificamente da Tradução Audiovisual (TAV)/legendagem em sua relação com conceitos como os de reescrita (LEFEVERE, 1992) e domesticação e estrangeirização (VENUTI, 1995, 2002, 2021), analisamos a série brasileira Cidade Invisível, com o foco na primeira temporada exibida pela Netflix a partir de fevereiro de 2021. Propomos que a série representa formas de reescrita: primeiro a reescrita fílmica, em que mitos e lendas são transportados da natureza de tempos imemoriais para um centro urbano atual: o Rio de Janeiro de 2021; e em segundo a reescrita da série para a língua inglesa, a partir da análise das legendas produzidas. Sustentamos que o roteiro da série prevê o processo de reescrita para contextos estrangeiros já na sua concepção, bem como que a tradução para legendagem em inglês promove formas de diálogo intercultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Cordeiro Campos, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutora em Letras. Professora de Tradução do GLE/UFF. Coordenadora do Labestrad/UFF. Professora Posling/UFF.

Luiza Calheiros Marinho, Universidade Federal Fluminense - UFF

Bacharel em Letras. Bolsista IC FAPERJ 2021-2023. Participante do Labestrad/UFF (2021-2022).

Referências

ALFARO, C. A tradução para legendas: dos polissistemas à singularidade do tradutor. 2005. 160 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – PUC-Rio: RJ.

ÁLVAREZ, A. C. Da oralidade à legenda: reflexão em torno de um trabalho de legendagem. Tradução em Revista, Rio de Janeiro, n. 11, 6 jan. 2012.

AZEVEDO, T. A. CAMPOS, G. C. Legendagem para plataformas de streaming: novas tecnologias, velhas questões. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 40, ed. 3, 2020.

AZEVEDO, T. A. Legendagem para streaming: novas práticas?. 2020. 145 p. Dissertação (Mestrado em Letras) - UFF, Niterói.

CAMPOS, G. C. Streaming, Estudos da Tradução e Tradução Audiovisual: problematizando a tradução para legendagem. In REZENDE, P; SOUZA. G.C. (Orgs). Práticas e investigações nos estudos da tradução: tecnologias, multimodalidade, discurso e semântica. São Carlos: Pedro & João Editores, p. 45-72, 2022.

CASCUDO, C. Dicionário do folclore brasileiro. 10. ed. RJ: Ed. Ediouro, 2001.

DÍAZ CINTAS, J. Clearing the smoke to see the screen: Ideological manipulation in audiovisual translation. Meta: Université de Montréal, v. 57, n. 2, 2012.

EVEN-ZOHAR, I. Polysystem studies. Poetics Today, Tel Aviv, v. 1, n. 1/2, 1979.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. Tradução: Isadora Blikstein, José Paulo Paes. 22. ed. São Paulo: Cultrix, 1976.

LEFEVERE, André. Translation, rewriting and the manipulation of literary fame. Trad. Cláudia Mattos Seligmann. 1. ed. São Paulo: Edusc, 2007.

LOBATO, M. O Saci. 3 ed. São Paulo: Editora Globo, 2016.

MARTINEZ, S. Tradução para legendas: uma proposta para a formação de profissionais. 100 p. 2007. Dissertação (Mestrado em Letras) – PUC-Rio, RJ.

MARTINEZ, S. Curso de Legendagem – módulos 1 e 2 – GTC Treinamento, 2020.

NAVES, S. B. et al, (org.). Guia para produções audiovisuais acessíveis. Brasília: Ministério da Cultura - Secretaria do Audiovisual, 2016.

VENUTI, L. A Invisibilidade do Tradutor. Trad: Carolina A. de Carvalho. Palavra, Rio de Janeiro: PUC‐Rio, n. 3. [1986] 1995.

VENUTI, L. A invisibilidade do tradutor: uma história da tradução. Trad Laureano Pellegrin et al. São Paulo: Editora UNESP, 2021.

VENUTI, L. Escândalos da tradução: por uma ética da diferença. Trad. Laureano Pelegrin et al. Bauru: Edusc, 2002 [1998].

Publicado

2024-02-02

Como Citar

CAMPOS, Giovana Cordeiro; MARINHO, Luiza Calheiros. Reescrita, Tradução e Legendagem: Cidade Invisível em inglês. Interdisciplinar - Revista de Estudos em Língua e Literatura, São Cristóvão-SE, v. 40, n. 1, p. 155–170, 2024. DOI: 10.47250/intrell.v40i1.p155-170. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/interdisciplinar/article/view/v40p155. Acesso em: 24 abr. 2024.