Entre guerras e traduções

literatura brasileira em inglês, a USIA e Alfred A. Knopf

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47250/intrell.v40i1.p61-74

Palavras-chave:

Tradução, Literatura brasileira, Alfred A. Knopf, USIA, Barbara Shelby

Resumo

Este artigo discorre sobre as relações políticas e de poder nas quais estiveram envolvidas as traduções de obras brasileiras para o idioma inglês no período da Guerra Fria. Prioriza-se o trabalho dos tradutores da Alfred Knopf Publishers, em especial de Barbara Shelby, e as restrições de disputas que resultaram na formação de um imaginário brasileiro. Questões importantes como a The War Against the Authors (Guerra contra os autores) travada pelo governo estadunidense contra importantes nomes da literatura mundial, o Freedom to Read Statement (Declaração de Liberdade de Leitura) e a resistência de editores e escritores são tratadas aqui. Destacam-se ainda aqui o processo de tradução das obras de Gilberto Freyre, Jorge Amado e Guimarães Rosa e as diferentes contendas entre os agentes envolvidos nas traduções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marly D’Amaro Blasques Tooge, Universidade de São Paulo - USP

Doutora pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Tradutora e Intérprete Pública e Professora do Curso de Formação de Tradutores da Associação Alumni. Membro do Grupo de Estudos de Tradução e Adaptação da USP.

Referências

CASANOVA, P. La langue mondiale-Traduction et domination. Col. Liber. Paris: Seuil, 2015, Collection: Liber.

CAMPOS, H. Metalinguagem & outras metas. São Paulo: Perspectivas, 1992.

CASANOVA, P. A língua mundial: tradução e dominação. Tradução de Marie Helene Torres. Florianópolis: EDUFSC, 2021.

COHN, D. A Tale of Two Translation Programs; Politics, the Market, and Rockefeller Funding for Latin American Literature in the United States during the 1960s and 1970s. Latin American Research Review, vol. 41, n. 2, p. 139-164, 2006.

EVEN ZOHAR, I. The Position of Translated Literature within the Literary Polysystem. Translation Across Cultures. Toury, Gideon, ed. New Delhi: Bahri, p. 107-115, 1987.

GUIMARÃES, A. S. A. Democracia racial: o ideal, o pacto e o mito. Novos Estudos Cebrap, n. 61, p. 147-162, 2001.

LAUGESEN, A. American Publishers, Books, and the Global Cultural Cold War: Alfred A. Knopf Publishers and the United States Information Agency, 1953-1970. Australasian Journal of American Studies (AJAS), 2016.

LEFEVERE, A. Translating Literature: Practice and Theory in a Comparative Literature Context. Modern Language Association of America. New York, 1992.

Maio, M. C. O Projeto Unesco e a agenda das ciências sociais no Brasil dos anos 40 e 50. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 14, n. 41, 1999.

MITGANG, H. Dangerous Dossiers: Exposing the Secret War against America’s Greatest Authors. New York, D. I. Fine, 1988.

MORINAKA, E. M. Books, Cultural Exchanges and International Relations: Brazil and the United States in a Context of War (1941-1946). 2019.

MILTON, J. Translating Classic Fiction for Mass Markets. The Translator, vol. 7, n. 1, 43-69, 2001.

MILTON, J. “The Resistant Political Translations of Monteiro Lobato.” The Massachusetts Review, vol. 47, n. 3, p. 486–509, 2006.

ONÍS, J. The town’s story is the land’s. The New York Times. Sep 16, 1962.

PISETTA, L. M. R. O lado menos conhecido da história da primeira tradução de Grande sertão: veredas para o inglês. Trabalhos em Linguística Aplicada, vol. 59, n. 2, p. 1288-1309, 2020.

RENVOISÉ, P. ; MORIN, C. Neuromarketing : understanding the “buy button” in your customer’s brain. Nashville, Tenn: Thomas Nelson, Harper Collins Leadreship, 2007.

VERSIANE, F. R. Escravidão “suave” no Brasil: Gilberto Freyre tinha razão? Revista de Economia Política, vol. 27, n. 2 (106), p. 163-183, 2007.

TYMOCZKO, M. Ideology and the Position of the Translator: In what Sense is a Translator “In Between”?’. In M. Calzada Pérez (ed.). Apropos of Ideology: Translation Studies on Ideology -Ideologies in Translation Studies. Manchester: St. Jerome Publishing, 2003.

TYMOCZKO, M. Translation and Political Engagement. Activism, Social Change and the Role of Translation in Geopolitical Shifts. The Massachusetts Revew, vol. 47, n. 03, 2003.

TOOGE, M. D. B. Traduzindo o Brazil: o país mestiço de Jorge Amado. FFLCH/USP, 2009.

SCHWARCZ, L. M. Do preto, do branco e do amarelo: sobre o mito nacional de um Brasil (bem) mestiçado. Cienc. Cult., São Paulo , v. 64, n. 1, p. 48-55, 2012 .

SCHWARTZ, D. The books have been burning. CBC News. Canadian Broadcasting Corporation. Archived from the original on 7 June 2022. Retrieved 15 December 2017.

Publicado

2024-02-02

Como Citar

TOOGE, Marly D’Amaro Blasques. Entre guerras e traduções: literatura brasileira em inglês, a USIA e Alfred A. Knopf. Interdisciplinar - Revista de Estudos em Língua e Literatura, São Cristóvão-SE, v. 40, n. 1, p. 61–74, 2024. DOI: 10.47250/intrell.v40i1.p61-74. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/interdisciplinar/article/view/v40p61. Acesso em: 24 abr. 2024.