Chamada aberta para dossiê: Juventudes e cidadania: práticas culturais e políticas públicas

2023-12-21

Prazo para envio: 31 de Abril de 2024 *Submissão via sistema da revista TOMO

Previsão para publicação: 2024

A revista TOMO está aberta para receber propostas de manuscritos para o dossiê "Juventudes e cidadania: práticas culturais e políticas públicas" organizado por

Dr. Frank Marcon (UFS/DCS – Sergipe/Brasil)

Dra. Mariana Chaves (Universidad La Plata/FTS – La Plata/Argentina)

Dr. Ricardo Campos (Universidade Nova de Lisboa/CICSNOVA - Lisboa/Portugal)

** Acesse as regras para os autores no link "submissão" no site da revista

Este dossiê pretende reunir artigos científicos sobre as juventudes e suas práticas culturais, na correlação com suas atuações políticas cotidianas, seus ativismos ou, ainda, sobre as implicações das políticas públicas em suas vidas.

Questões mobilizadoras do dossiê:

a) Em que medida os processos de cidadania entre os jovens se constituem a partir de suas próprias inciativas, agências, formas de organização e criatividade, a partir de expressões e práticas culturais? Que experiências são estas e quais suas particularidades geracionais e intersecções sociais? Que tipo de práticas, gramáticas e recursos são empregues para a intervenção política?

b) Por outro lado, como as políticas públicas têm sido construídas e têm considerado tais questões? Que representações, práticas e resultados têm sido apresentados, em um âmbito mais local ou mais global? Em que medida tais políticas são produtoras ou reprodutoras de precarização e empoderamento e como impactam nos processos e representações juvenis sobre a cidadania?

Entende-se aqui que os jovens representam um grupo sócio etário relevante no que diz respeito à agência política, servindo, muitas vezes, como contrapeso ao poder dominante e, outras vezes ao status quo, particularmente nos últimos tempos, com a ascensão de propostas conservadoras. O Estado os observa, os educa, os sana, os assiste, e os reprime. No entanto, na maior parte das políticas que os nomeiam, eles e elas não são convocados a desenhá-las e/ou avaliá-las, em um contexto geracional de crise dos valores da política formal. Portanto, este dossiê procura reunir o resultado de pesquisas sobre as agências, as formas, os recursos, os processos e as causas em torno das quais os jovens agem politicamente, e como são interpelados desde o Estado e da política mais geral.

Serão bem-vindos artigos com perspectivas mais teóricas ou estudos empíricos, sociológicos ou etnográficos, sobre as juventudes e suas formas e processos de experimentação, representações e práticas de cidadania, a partir de expressões e ações culturais, que envolvam as próprias iniciativas das juventudes, ou iniciativas institucionais, de organizações públicas ou privadas, locais e internacionais.

Bibliografia:

CAMPOS, Ricardo; SARROY, Alix; e SIMÕES, José V. (Orgs.). A Arte de Construir Cidadania: Juventude, Práticas Criativas e Ativismo. Lisboa: Tinta da China, 2022.

CHAVES, Mariana. Por-venires en tiempos distópicos (o acerca de juventudes, desigualdades, pandemia, utopías, Estados, la vida, la muerte, y... ¿algo más?). in: MARCON, F.; NORONHA, D. (orgs.). Juventudes e desigualdades sociais em tempos de crise e radicalização política. 1. ed. – Aracaju, SE: Criação Editora, 2021. (p. 41/60)

MARCON, Frank e GALVÃO, L. Práticas culturais juvenis e a cidade como locus de ação política e disputa de sentidos sobre o espaço público. Ponto Urbe 31 v.1m 2023. http://journals.openedition.org/pontourbe/15056